Artigos

Permita-se: Indulgente e Saudável?

Três tendências de consumo estão reestruturando o mercado alimentício nos últimos anos: conveniência, saudabilidade e indulgência. Não basta que o produto seja gostoso, é preciso fazer bem ao corpo. Confira na coluna deste mês.

Sempre há espaço para sobremesas – inclusive na alimentação saudável. Consumidores sabem que guloseimas tradicionais não fazem bem à saúde, porém não conseguem deixá-las de lado. Um estudo da empresa de pesquisa de mercado Mintel revela que 94% dos americanos consomem snacks ao menos uma vez ao dia. Destes, um terço dá preferência a opções mais saudáveis, sendo que a maioria (60%) afirma que há falta de produtos indulgentes saudáveis no mercado.

No Brasil, onde 18% da população consome doces em pelo menos cinco dias da semana, as indústrias encontravam problemas para combinar “conveniência” e “saudável” em produtos indulgentes, uma vez que não se imaginava que poderia resultar em produtos com boa palatabilidade. Devido ao retorno positivo de consumidores, muitos produtos ligados ao bem-estar começaram a surgir no mercado.

Produtos em Alta

Os maiores lançamentos encontram-se nos produtos ricos em proteínas, que aumentam a sensação de saciedade, e fibras, que controlam níveis de colesterol e triglicerídeos. Acompanhando esta tendência, empresas na Europa estão trabalhando com hospitais para ofertar aos pacientes sorvetes ricos nestes nutrientes, a fim de aumentar a oferta de produtos saborosos e saudáveis.

Chocolates sem lactose, vistos como produtos premium na Europa, ainda estão em fase de desenvolvimento no Brasil. Com o crescimento da oferta de bebidas vegetais, as indústrias brasileiras têm a oportunidade de inovar o segmento com novos sabores e se adaptar melhor ao paladar brasileiro. Outras sobremesas, como pudins e balas, seguem a mesma tendência, visando um perfil clean label (sem aditivos químicos) e sem alergênicos. O açúcar continuará a sua saída gradativa do mercado e terá que abrir caminho aos adoçantes alternativos. Além dos produtos citados, produtos veganos, assim como orgânicos, também estão em alta e não podem ser esquecidos.

Lançou, Vendeu

A questão é, produto novo na gôndola chama a atenção de quem compra, ainda mais se for gostoso, saudável e pronto para consumo. Com a onda atual da expulsão de aditivos químicos e ingredientes alergênicos, as indústrias devem perceber as adaptações como necessárias, porém lucrativas. E os consumidores pedem cada vez mais.

Até mês que vem – Fiquem DE OLHO! 

Carina Rocha e Gabriel Weinsberger

(Para críticas e sugestões, pedimos que entre em contato conosco: gabriel@gramkow.com.br)